Como funcionam as bandeiras tarifárias na conta de luz?

Muita gente vê aquelas bandeirinhas na conta de luz e não sabe o que elas significam. Também desconhecem o impacto que elas têm no valor final da conta. São as “bandeiras tarifárias”, e variam de acordo com alguns fatores.

Por isso, vamos te explicar o que as cores das bandeiras tarifárias significam e como você pode ajustar seu consumo ou fonte de energia de acordo com essa variação tarifária.

O que as bandeiras fazem é criar uma relação entre o valor que você desembolsa e o custo pago pelas geradoras de energia. É uma forma de simplificar os cálculos feitos todo mês pelo Governo Federal.

De modo muito simples, as cores das bandeiras tarifárias mostram se os custos de geração de energia no país estão mais altos ou não.

Como funcionam as cores das bandeiras tarifárias?

As bandeiras tarifárias indicam, mês a mês, se a energia vai custar mais ou menos. Tudo isso em função do custo extra das distribuidoras, como dissemos anteriormente.

As bandeiras são classificadas em três cores. A escolha dessas cores remete ao semáforo de trânsito. Isso, porque o significado é o mesmo e assim fica mais fácil de entender. A explicação é relativamente simples.

  • Verde - Se a bandeira está verde, o custo de geração de energia está baixo e as termelétricas desligadas.
  • Amarelo - Caso a bandeira esteja amarela, é sinal de atenção, pois esse custo tende a aumentar.
  • Vermelho - Quando chega à vermelha, você já sabe: o custo da geração de energia está mais alto.

Como as bandeiras tarifárias impactam na conta de luz?

Com a bandeira verde, não precisa se preocupar. O preço final não sofre alteração.

Entretanto, com as bandeiras amarela e vermelha há um custo extra para cada 100 quilowatts-hora consumido por você na sua casa, empresa, indústria, loja, clube etc.

Tal sistema foi criado pelo Governo Federal com o objetivo de mostrar de forma mais explícita para o consumidor final o custo mensal de geração da energia elétrica. Assim, um possível reajuste já é explicado na própria conta.

Essa é uma informação que não parece importante, mas é. De acordo com a bandeira, você pode ajustar seu consumo de energia contribuindo para a economia do país e para a sua também!

Ainda assim, surge a pergunta: por que há essa variação no custo de produção?

A matriz energética brasileira é, em sua maior parte, composta por usinas hidrelétricas que dependem das chuvas e do nível de água nos reservatórios. Com pouca chuva, o volume de água diminui, fazendo com que o governo acione as usinas termelétricas.

As termelétricas, por sua vez, são movidas a gás natural, carvão, óleo combustível e diesel, elevando o custo de produção.

O ideal é consultar uma empresa especializada no assunto, pois hoje existe no mercado, opções de energias alternativas que podem baratear esse gasto, como a energia solar. Elas são limpas, sustentáveis e baratas.

A Repensa Energia tem tradição no mercado e soluções que se adequam às suas necessidades.

Com a sua expertise, a Repensa Energia indicará qual a energia alternativa é mais viável no seu caso. Vale a pena entrar no site e conferir.  

Entre em contato conosco!

Unidades

Digite o que você procura